Uma máscara estratégica!

A demanda por máscaras e outros Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) aumentou significativamente nos últimos meses. O uso tem sido obrigatório em diversos estados do país como instrumento de proteção e de combate a propagação do coronavírus, com consequente pagamento de multa para quem descumprir a lei.

A máscara, que já era tão conhecida e popular em  diversos setores, já estava disponível, mas ninguém dava tanta atenção, devido ao contexto anterior à crise vivenciada nos últimos dias.

Mas será que ela é o meio mais eficaz de proteção?

Especialistas afirmam, que as medidas de proteção devem ser acompanhadas de uma série de ações que podem reduzir o risco de contágio, para realmente terem eficácia no combate ao vírus. Ações como lavar as mãos, evitar de tocar nos olhos, nariz, boca e não tocar em pessoas que estejam doentes se tornaram imprescindíveis.

Da mesma forma,  assim como a máscara, existe uma estratégia muito comum de proteção das empresas, a projeção do Fluxo de Caixa, ela também é bastante conhecida, protege o seu negócio das ameaças e perigos financeiros e está tendo uma demanda significativa nos últimos meses, mas será que esse tipo de controle tem sido eficaz sem ações adequadas e compatíveis com seu segmento de mercado?

Até o presente momento, você já se questionou se a sua gestão de caixa tem sido eficiente? Se o caixa atual cobre custos e despesas sem entrada de novos recursos? E quanto tempo sua empresa consegue sobreviver sem novas entradas?

O fluxo de caixa consegue responder questões como estas, pois é uma ferramenta de gestão para verificar a reserva de caixa, ou seja, o período que a empresa tem de dinheiro para cobrir gastos sem a entrada de novos recebimentos e possibilita estimar o tempo de vida do empreendimento.

Ter o foco em liquidez pode garantir a sobrevivência nesse período. É importante avaliar os saldos de caixa, de contas a pagar e de receber dos próximos meses, não apenas neste período de crise, mas ser constante em qualquer fase da empresa.

Através dessa previsão, a empresa possui maior segurança para elaborar estratégias, tomar decisões e elaborar novos planejamentos. Se for bem executada, a projeção pode trazer respostas de extrema importância sobre a distribuição de recursos, investimentos e custo-benefício, como também sugerir qual será a situação financeira da empresa diante de cenários idealizados.

A simulação desses cenários permite que os gestores e sócios avaliem o caixa e analisem eventuais necessidades de captação ou redução de custos e despesas. Através disso, é possível prever impactos como:

  • redução ou aumento da receita;
  • aumento ou queda da inadimplência;
  • necessidade de empréstimo preventivo;
  • cortes e prorrogação de despesas preventivas;
  • isenção e adiantamento de tributos e taxas;
  • redução da jornada de trabalho, férias antecipadas e banco de horas.

Nesse cenário atual, as ações estratégicas, que podem ser acompanhadas com a projeção realizada são divididas em seis aspectos, confira:

https://lh3.googleusercontent.com/0gejrlleC8pYbByM8I1nYxomYMMUXvQX368eIdmrWWm4Ex1cjbxRXekMQEXMQBjLMMqI_nws2HqkzxliorT9JJWH-opYSH-5yLYKxUbP4zDJmi177dUU3Iv-CQwDVPYouaNoIiJR

Outra dica importante é fazer o acompanhamento do Planejado X Realizado

Essa análise permite verificar se a projeção está ficando abaixo ou não do que planejou, porque quanto maior a  assertividade, melhor para suas projeções futuras.

A Zoing Contabilidade incentiva que seus clientes estejam sempre atentos ao fluxo de caixa. Aqui, explicamos a importância de estar atento até mesmo fora dos tempos de crise. Este texto originalmente foi divulgado em outros sites e sofreu alterações ao ser publicado neste blog.